Neste blog você irá encontrar sugestões de atividades, atividades já realizadas, informações sobre o Ensino Religioso no estado do Paraná e principalmente em Curitiba. Trabalhar com a diversidade religiosa em sala de aula é algo extremamente rico pois, é na diversidade que aprendemos a respeitar o outro.


11 de novembro de 2012

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA EM CURITIBA


Olá , como estamos próximos do dia da Consciência Negra, 20 de novembro, olha lá o que podemos apresentar nas aulas de Ensino Religioso.

Na postagem anterior coloquei o convite da Lavação das escadarias da Igreja Nossa
Senhora do Rosário dos Pretos de São Benedito. Esta festa que irá acontecer retrata o sincretismo religioso entre o catolicismo e a umbanda. Data esta em que adeptos das duas tradições religiosas se reúnem para comemorar. Segue aqui um pouco sobre a história desta igreja e a sua importância na cidade de Curitiba.



Igreja do Rosário dos Pretos

A atual Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de São Benedito é uma construção de 1946, em estilo barroco. Construída no mesmo local da antiga igreja, demolida em 1931.
           A primeira igreja do Rosário foi construída por escravos e para os escravos, inaugurada em 1737, em estilo colonial. Era a terceira igreja de Curitiba, depois da Matriz e da Igreja da Ordem. O nome original era Igreja de Nossa Senhora dos Pretos de São Benedito. Com a abolição da escravatura, a igreja perdeu sua razão original de ser. Serviu de matriz de 1875 a 1893, durante a construção da Catedral, na Praça Tiradentes.
           Em 1951, foi confiada aos jesuítas. Na década de 1970, passou também a ser chamada de Santuário das Almas, onde se realiza com frequência missas de corpo presente.
            A fachada atual ainda tem azulejos da igreja original. Seu interior abriga azulejos portugueses, com os Passos da Paixão, e o túmulo do Monsenhor Celso, antigo pároco de Curitiba, falecido em 1931.
          Fica na Praça Garibaldi, Centro Histórico. 
Herdeiros da Cultura Africana em Curitiba
Até o início do século 19, os curitibanos eram basicamente descendentes de índios, portugueses e africanos. A partir da metade do século, Dom Pedro II convidou imigrantes europeus e asiáticos para instalarem-se em terras brasileiras, principalmente no Sul. Os novos habitantes trouxeram seus costumes, tradições e esperanças, dando um novo ritmo de crescimento à cidade.
         Os escravos negros chegaram em Curitiba a partir do final do século 17. No final do século 18 eles já somavam várias centenas, enquanto a população total da cidade era inferior a cinco mil.
          No início do século 19, estima-se que a população de pretos e pardos em Curitiba era superior a 40%.
         No período colonial os portugueses incentivavam a fundação de  irmandades negras católicas e a construção de igrejas especialmente para os negros. Em Curitiba, foram fundadas as irmandades negras de Nossa Senhora do Rosário e de São Benedito.

Interior da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de São Benedito, no coração do Centro Histórico de Curitiba. Fundada por uma irmandade negra, em 1737, no mesmo ano da Igreja da Ordem. Alguns membros da antiga irmandade foram enterrados no templo, cedido aos jesuítas em 1951.


          O Censo de 2010 verificou que o Brasil não é mais um país com predominância da população branca. A população negra aumenta proporcionalmente a cada ano. Em Curitiba, a população de pretos e pardos é superior a 20% (2010).

         Sede da Sociedade Treze de Maio na rua Clotário Portugal, 274, São Francisco. Fundada em 1889, ano seguinte da Abolição da Escravatura, é a mais antiga e tradicional instituição de cultura negra do Paraná. Inicialmente, tinha o objetivo principal de dar suporte aos escravos libertos pela Lei Áurea. Hoje, funciona como clube social e centro de cultura africana.

      


   A Maria Lata d'Água, uma fonte instalada na praça José B. de Macedo, com uma reprodução da escultura de Erbo Stenzel, é um monumento a uma personagem negra do passado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário