Neste blog você irá encontrar sugestões de atividades, atividades já realizadas, informações sobre o Ensino Religioso no estado do Paraná e principalmente em Curitiba. Trabalhar com a diversidade religiosa em sala de aula é algo extremamente rico pois, é na diversidade que aprendemos a respeitar o outro.


19 de junho de 2018

O SAGRADO FEMININO

Objetivos: Identificar a existência do Sagrado Feminino na diversidade religiosa.
Conteúdo: Organizações religiosas: – O Sagrado Feminino.
Critérios de aprendizagem: Identifica e compreende o Sagrado Feminino na diversidade religiosa.


Nesta atividade os estudantes conheceram algumas mulheres sagradas e importantes para algumas organizações Religiosas.

Logo depois realizaram uma pesquisa sobre quais mulheres importantes e/ou sagradas eles conheciam ou já ouviram falar na organização religiosa a que pertencem.

Aqui segue o relato de algumas mulheres com as quais trabalhamos e realizamos uma atividade final.




O xamã ou pajé é, ao lado do cacique, a maior autoridade de um grupo indígena. No caso dos Yawanawá, são eles os guardiões dos conhecimentos da tribo, desde a medicina até as artes. Acredita-se que tenham dons sobrenaturais — de adivinhação, de cura e até mesmo de matar inimigos telepaticamente. Fazem também a interlocução entre os vivos e os ancestrais. Segundo a sabedoria indígena, são os espíritos que ensinam ao pajé os segredos mágicos. Tais comunicações acontecem em rituais em que os líderes espirituais tomam ayahuasca (chamada por eles de uni) e inalam rapé (uma mistura de tabaco em pó e da casca moída de uma árvore amazônica chamada por eles de tsunu).



Giselle Cossard Binon - Omindarewa, (Tanger, 31 de maio de 1923 - Duque de Caxias, 21 de janeiro de 2016), Iyalorixá do Candomblé do Rio de Janeiro. Também conhecida por Mãe Giselle de Iemanjá. Filha de santo de Joãozinho da Goméia, iniciada para o Orixa Iemanja, antropóloga e escritora, franco-brasileira.
Gisele Cossard nasceu em 1923 em Tanger, no Marrocos, onde seu pai atuava como militar. Sua família a criou na fé católica, sendo que eram de classe média alta, republicanos e cultos. Seu pai era professor primário e a mãe, professora de música e pianista do Conservatório de Paris.


Aimee Semple McPherson (IngersollOntárioCanadá9 de Outubro de 1890 – 27 de Setembro de 1944), nascida como Aimee Elizabeth Kennedy e também conhecida como Irmã Aimee foi uma evangelista e celebridade de mídia entre os anos de 1920 e 1930.[1] Ela fundou a Igreja do Evangelho Quadrangular. Aimee tem sido destacada como uma pioneira no uso da mídia moderna, especialmente rádio, o qual ela inspirou-se pelo seu crescente uso no entretenimento popular norte-americano.


A beleza feminina da mulher indígena, perfeita, única, made in Brasil! (Roraima, Brasil)


Pela primeira vez em 75 anos, informa a agência AFP, uma mulher foi ordenada rabina na Alemanha, selando mais um marco na retomada de uma comunidade devastada pelo Holocausto. 
Alina Treiger, 31 anos, originária da Ucrânia, tornou-se rabina em 4 de novembro em uma sinagoga em Berlim, em cerimônia que contou com a presença do presidente da Alemanha, Christian Wulff. 
A trajetória da jovem rabina é símbolo do dinamismo da comunidade judaica alemã, composta, em grande parte, por imigrantes da extinta URSS. 
Alina é a segunda mulher ordenada rabina na Alemanha. A primeira foi Regina Jonas, em 1935. Ela foi assassinada em Auschwitz, em 1944. 


Cláudia Dias Baptista de Sousa (São Paulo30 de junho de 1947[1]), conhecida como Monja Coen Roshi, é uma monja zen budista brasileira e missionária oficial da tradição Soto Shu com sede no Japão.[2] Monja Coen também é a Primaz Fundadora da Comunidade Zen Budista criada em 2001 com sede em PacaembuSão Paulo. Seu pai era filho de portugueses e sua mãe oriunda de familia paulista quatrocentona (Dias Baptista), de grandes proprietários de terra. Ela é prima de Sérgio Dias BaptistaArnaldo Dias Baptista e Cláudio César Dias Baptista, mais conhecidos por seus trabalhos com a banda Mutantes.


Maria (hebraico: מִרְיָם, MiriamaramaicoMaryāmárabe: مريم, Maryamgrego koiné: Μαριας ou Μαριαμ,[5]), também conhecida como Maria de Nazaré e chamada pelos católicos e ortodoxos de Nossa Senhora, foi a mulher israelita [6] de Nazaré, identificada no Novo Testamento e no Alcorão como a mãe de Jesus através da intervenção divina (Mateus 1:16-25Lucas 1:26-56Lucas 2:1-7). Jesus é visto como o messias — o Cristo — em ambas as tradições, dando origem ao nome comum de Jesus Cristo. Maria teria vivido na Galileia no final do século I a.C. e início do século I d.C., é considerada pelos cristãos como a primeira adepta ao cristianismo.





Conversamos muito sobre essas e outras mulheres e realizamos a seguinte atividade:

Cada estudante ganhou uma foto e coloriu.




























Nossa atividade ficou assim.... linda!












Nenhum comentário:

Postar um comentário