Neste blog você irá encontrar sugestões de atividades, atividades já realizadas, informações sobre o Ensino Religioso no estado do Paraná e principalmente em Curitiba. Trabalhar com a diversidade religiosa em sala de aula é algo extremamente rico pois, é na diversidade que aprendemos a respeitar o outro.


3 de dezembro de 2016

A CRIAÇÃO E O FIM DO MUNDO EM DIVERSAS CULTURAS - ZOROASTRO



A CRIAÇÃO
Segundo Zoroastro, o mundo teria sido criado por um deus chamado Ahura-Mazda, ou Ormuz. Tal deus teria criado tudo o que há de bom no mundo. Porém tal criação teria sido maculada por um deus chamado Angra Manyu, ou Arihman. Este deus teria criado a dor, a infelicidade e as trevas. O mundo seria então um grande campo de batalha entre as forças de Ahura-Mazda, representadas simbolicamente pela luz e o fogo, e as forças de Angra Manyu, representadas pelas trevas. Como Ahura-Mazda é mais forte que Angra Manyu, a vitória final de Ahura-Mazda seria inevitável. Os seres humanos teriam então a missão de acelerar a vitória de Ahura-Mazda através de ações eticamente corretas, como a caridade, a justiça, a verdade, os bons pensamentos e sentimentos. A vitória completa de Ahura-Mazda se daria no final dos tempos, quando então Angra-Manyu seria completamente destruído e o mundo conheceria uma felicidade completa e eterna.
As ideias de Zoroastro foram reunidas no texto sagrado do Zoroastrismo, o Zend-Avesta.

O FIM

A doutrina de Zaratustra é escatológica. De acordo com os seus preceitos, o mundo duraria doze mil anos. No fim de nove mil anos, ocorreria a segunda vinda de Zaratustra como um sinal e uma promessa de redenção final dos bons. Isso seria seguido do nascimento miraculoso do Saoshyant, equivalente ao Messias hebreu, cuja missão seria aperfeiçoar os bons para o fim do mundo, da história humana, enfim, para a vitória do Bem sobre as forças do Mal. A cada mil anos viria um profeta/messias (Saoshyant).
Assim, nos últimos três milênios, três Saoshyant preparariam a completude do grande ano cósmico. É neste sentido que Nietzsche menciona Zaratustra como aquele que compreendeu a História em toda a sua completude. Cada série de desenvolvimento da História seria presidida por um profeta, que teria seu 
hazar, seu reino de mil anos. O Zaratustra histórico, no entanto, anuncia a chegada do tempo em que surgirá da raça persa o Shah Bahram, o Senhor Prometido, o Salvador do Mundo, o Grande Mensageiro da Paz.

No final dos tempos haveria o julgamento derradeiro de todas as almas e a ressurreição dos mortos. Não fica claro se o inferno tem duração eterna, se os maus se agitarão eternamente “nas trevas”. Nos Gathas, cantos de Zaratustra, consta também que o mal poderia ser banido para sempre do universo, com o nascimento de um novo mundo, física e espiritualmente perfeito, aqui na Terra. Não seria possível, assim, a coexistência de um mundo físico degradado e um mundo hiperfísico perfeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário