Neste blog você irá encontrar sugestões de atividades, atividades já realizadas, informações sobre o Ensino Religioso no estado do Paraná e principalmente em Curitiba. Trabalhar com a diversidade religiosa em sala de aula é algo extremamente rico pois, é na diversidade que aprendemos a respeitar o outro.


9 de fevereiro de 2018

SÍMBOLOS RELIGIOSOS - ARQUITETURA RELIGIOSA - 3º ANO

Turma: 3º ano
Conteúdo: Símbolos Religiosos: Arquitetura Religiosa;
Objetivo: Reconhecer elementos simbólicos na arquitetura religiosa;
Critério de aprendizagem: Identifica e aponta alguns elementos simbólicos na arquitetura
religiosa.

Duração das atividades: 9 aulas

Como abordar a arquitetura religiosa com os estudantes de 3º ano do Ensino Fundamental? Esta é a pergunta, que talvez muitos fiquem intrigados em responder. Estudantes de 8 para 9 anos conseguem entender que cada Lugar Sagrado tem a sua forma, arquitetura própria e que é possível nomeá-los de acordo com o que aprenderam? E mais, vamos ampliar nossos conhecimentos, quando observamos a porta do Lugar Sagrado, quanto da religião está exposto nela? A porta, a entrada é muito significativa e seu aspecto arquitetônico a exemplo disto tem as ilustrações na igreja católica, baseada nos ensinamentos cristãos, o templo budista trará em sua porta representações de Buda, já os arabescos utilizados são uma marca forte dos muçulmanos. Foi a partir desta visualização bem específica, que resolvi trabalhar com os estudantes como a porta é significativa nas religiões.

Conhecimentos prévios: 

Para iniciarmos o conteúdo, fiz as seguintes perguntas aos estudantes: As casas são todas iguais? Muitas foram as contribuições, como: sim, a minha casa é de madeira, a minha é de material. Perguntei: Vocês tem certeza que são todas iguais? Apontei para o modelo da casa, características de cada um, pintura, tipo de moradia. A partir deste momento os estudantes começaram a refletir se realmente os lugares apontados sagrados e não sagrados tem as suas especificidades.

Encaminhamento metodológico:
Após levantar os conhecimentos prévios os estudantes realizaram o desenho da sua casa e do Lugar Sagrado que conhecem ou frequentam, onde a partir daí construímos um cartaz e todos puderam visualizar as diferenças.  Chegamos a conclusão que o que fazia com que cada local fosse diferente, é a ARQUITETURA.







Centramos nosso trabalho na arquitetura religiosa- PORTA. Relembrando os Lugares Sagrados, conteúdo do 1º trimestre mostrei logo em seguida a imagens de várias Mesquitas tanto na parte externa quanto a interna e então iniciamos com a pintura dos arabescos, A partir deste momento os arabescos iriam compor a porta de entrada da mesquita. Analisamos a construção arquitetônica, os minaretes, a abóboda, a parte interna ser composta por diversos tapetes e o entrar nela descalço, como sinal de respeito. Logo em seguida cada estudante recebeu um pequeno retângulo, este por sua vez iria fazer parte da mesquita. Os estudantes é que iriam escolher que parte representariam.

Assistimos o seguinte vídeo antes de iniciarmos nossas atividades:












O trabalho com o Templo Budista iniciamos assistindo o vídeo sobre o templo Budista de Três Coroas – Rio Grande do Sul, conversamos como a construção do templo era organizada, o templo aberto para a visita, o templo somente das divindades, a casa das rodas e das lamparinas, em seguida  mostrei uma das portas e os estudantes iniciaram a pintura de pequenos retângulo para compor a mesma. Logo após receberam um outro retângulo menor  para que no caderno também representar a arquitetura.









Assistimos ao seguinte vídeo




Apresentei algumas imagens e logo depois de visualizar as diferentes arquiteturas da opy indígena. Cada estudante recebeu uma folha impressa em tiras de papel bobina e cada um teria que juntar 5 tirinhas e colar para compor a porta da opy indígena. Logo em seguida cada um recebeu um novo retângulo pequeno e dele fez a composição de uma das partes da opy.




E para finalizarmos o conteúdo levei imagens de vários terreiros, aí os estudantes como estavam atentos a todos os detalhes viram que não tinha nada de arquitetônico na porta do terreiro, a partir daí fizemos a entrada do terreiro, que é composto por duas casinhas, uma a direita, casinha de Ogum – protetor de todos que chegam e do lado esquerdo a casinha de Exu – guardião da casa. Cada casinha com o símbolo do seu orixá representante (espada e o tridente). Os estudantes para compor esta entrada ganharam um ultimo retângulo do qual fizeram o telhado pintando de marrom. Para a atividade do caderno, os estudantes receberam mais um retângulo e iriam compor a entrada do terreiro com este pedacinho de papel.







Uma forma avaliativa bem interessante foi quando os estudantes ficaram abismados e intrigados quando eu propus para que eles fizessem com um pequeno retângulo uma pequena parte que comporia a arquitetura religiosa do lugar sagrado. Eles gostaram muito e perceberam a diferença de cada lugar apresentado e como eles se diferem entre si, devido a importância que cada parte arquitetônica representa.

Recursos didáticos: vídeos e imagens dos Lugares Sagrados, papel, cola, tesoura, caderno. 

Referências:

CURITIBA, Plano Curricular de Ensino Religioso, 2016

Um comentário:

  1. Que maravilha de aula! Envolveu disciplinas como arte e história de maneira criativa e envolvente. Meus sinceros parabéns!

    ResponderExcluir