Neste blog você irá encontrar sugestões de atividades, atividades já realizadas, informações sobre o Ensino Religioso no estado do Paraná e principalmente em Curitiba. Trabalhar com a diversidade religiosa em sala de aula é algo extremamente rico pois, é na diversidade que aprendemos a respeitar o outro.


24 de fevereiro de 2016

MATRIZ ORIENTAL - 1º ANO

Para iniciar as atividades com o 1º ano, este ano resolvi contar como a Flor de Lótus surgiu.

O MITO DA FLOR DE LÓTUS

Um lindo dia, reuniram-se para uma conversa, à beira de um lago de águas tranquilas, cercado por belas árvores e coloridas flores, quatro lendários irmãos. Eram eles o Fogo, a Terra, a Água e o Ar.
Como eram raras as oportunidades de estarem todos juntos, comentavam como haviam se tornado presos a seus ofícios, com pouco tempo livre para encontros familiares.
A Água lembrou aos irmãos que estavam cumprindo a lei divina, e este era um trabalho que deveria lhes trazer o maior dos prazeres.
Assim, aproveitaram o momento para confraternizar e contar, uns aos outros, o que haviam construído – e destruído – durante o tempo em que não se viam.
Estavam todos muito contentes por servirem à criação e poderem dar sua contribuição à vida, trabalhando em belas e úteis formas.
Então se lembraram de como o homem estava sendo ingrato. Construído ele próprio pelo esforço destes irmãos, não dava o devido valor à vida. Os irmãos chegaram a pensar em castigar o homem severamente, deixando de ajudá-lo. Mas, por fim, preferiram pensar em coisas boas e alegres.
Antes de se despedir, decidiram deixar uma recordação ao planeta deste encontro. Queriam criar algo que trouxesse em sua essência a contribuição de cada um dos elementos, combinados com harmonia e beleza. Sentados à beira do lago, vendo suas próprias imagens refletidas, cada um deu sua sugestão e muitas ideias foram trocadas. Até que um deles sugeriu que usassem o próprio lago como origem.
Que tal um ser vivo que surgisse da água e se crescesse em direção ao céu?
Um vegetal, talvez? Decidiram-se, então, por uma planta que tivesse suas raízes rente à terra, crescesse pela água e chegasse à plenitude do ar. Ofereceram, cada um, o seu próprio dom. A Terra disse: “Darei o melhor de mim para alimentar suas raízes”.
A Água foi a próxima: “Fornecerei a linfa que corre em meus seios, para trazer-lhe força para o crescimento de sua haste”.
“E eu lhe cercarei com minhas melhores brisas, dando-lhe minha energia e atraindo sua flor”, disse o Ar.
Então o Fogo, para finalizar o projeto, escolheu o que de melhor tinha a oferecer: “Ofereço o meu calor, através do sol, trazendo-lhe a beleza das cores e o impulso do desabrochar”.
Juntos, puseram-se a trabalhar, detalhe a detalhe, na sua criação conjunta. Quando finalizaram sua obra, puderam se despedir em alegria, deixando sobre o lago a beleza da flor que se abria para o sol nascente. Assim, em vez de punir o ser humano, os quatro irmãos deixaram-lhe uma lembrança da pureza da criação e da perfeição que o homem pode um dia alcançar.
Simplesmente linda essa lenda que nos convida a atingir a pureza da expansão da consciência, a sublimação dos nossos instintos em algo maior que nós mesmos, seguindo o movimento de fechar e abrir, inspirar e expirar, encolher e expandir no movimento infinito da vida.

Rallizar em forma de contação de história, apresentando os quatro elementos.


Recortei em tiras e a medida que contava o mito mostrava o elemento.

Logo em seguida apresentei em foma de dobradura o grande presente que os quatro elementos haviam dado para os seres humanos.

Perguntei aos alunos que presente eles achavam que os quatro elementos havia, dado para os humanos?
Eles mereciam ganhar este presente?
O que vocês dariam aos humanos?



 Com esta atividade foi trabalho o conteúdo mito e início do conteúdo símbolos naturais. 
Aguardem as próximas postagens.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Que bom Altenir, logo estarei postando atividades do 2º ao 5º ano da matriz oriental e a sequencia do 1º ano. Obrigada.

      Excluir