Neste blog você irá encontrar sugestões de atividades, atividades já realizadas, informações sobre o Ensino Religioso no estado do Paraná e principalmente em Curitiba. Trabalhar com a diversidade religiosa em sala de aula é algo extremamente rico pois, é na diversidade que aprendemos a respeitar o outro.


27 de novembro de 2018

TEXTOS ORAIS E ESCRITOS: MITOS 3º ANO

Neste 3º trimestre, finalizando as atividades trabalhei com meus estudantes o conteúdos:
• Linguagens sagradas – textos orais e escritos: – mitos; – textos orais; – textos escritos
• Objetivo: Reconhecer diferentes tipos de mitos e textos sagrados orais e escritos
•  Critério de ensino-aprendizagem: • Identifica diferentes tipos de mitos e textos sagrados orais e escritos.

Como falar de textos orais e escritos? Iniciei com o que perguntando o os estudantes conheciam de histórias religiosas. Usei esta terminologia mesmo para que pudesse facilitar o entendimento dos estudantes. 
Como são estudantes do 3º ano e tem aula de Ensino Religioso comigo desde o 1º ano, foram muitas as contribuições, o mais interessante foi que ouvir que em seus relatos eram contempladas as 4 matrizes.

Após conversamos disse a eles que hoje em nossa aula faríamos a confecção de um peixe, segue o modelo abaixo:



Mas antes de iniciarmos nossa atividade, mostrei várias imagens de peixes, logo em seguida os estudantes utilizaram a imaginação.






Após realizarmos a confecção perguntei aos estudantes que "histórias" religiosas eles conheciam, muitos foram os relatos e a partir comentei que o que iriamos assistir a um vídeo onde apareciam os peixes:



Em seguida conversamos sobre a importância de Nossa Senhora para os católicos e os milagres por ela realizados.



De posse destas informações fizemos um mural com os peixes confeccionados e os pescadores: Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves.






Mito: Aparição de Nossa Senhora da Aparecida 

A aparição da imagem de Nossa Senhora de Aparecida ocorreu em 1717, quando os governantes das capitanias de São Paulo e Minas de Ouro estava de passagem pelo Vale do Paraíba, mais precisamente por Guaratinguetá.

Animados com a visita, o povo daquela localidade resolveu fazer uma festa de boas-vindas e para isso chamaram três pescadores, Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso para lançar as redes no rio e pescar bons peixes. 

O fato era que, naquela época, meados de Outubro, não era tempo de peixes. Porém, como não podiam contradizer o pedido, rezaram pela proteção e benção da Virgem Maria e de Deus para que pudessem voltar à terra firme com fartura. Depois de inúmeras tentativas sem sucesso, eis que surpreendentemente eles pescaram o corpo de uma imagem. 

Curiosos, lançaram novamente as redes e “pescaram” uma cabeça que se encaixou perfeitamente ao corpo. Depois deste encontro, que nos dias de hoje é representado em todo o Brasil no dia 12 de outubro emocionando os fieis, o barco se encheu tanto de peixes que ele quase virou! 

A partir daí, a devoção da Santa foi se espalhando. Primeiro nas casas, depois se construiu uma capela, depois uma basílica, até chegar ao quarto maior santuário do mundo, o Santuário Nacional de Aparecida localizado na cidade de Aparecida, interior do Estado de São Paulo. 

Texto adaptado de: https://goo.gl/fdIB2L - acesso em 13/09/17

Explicar aos estudantes que, para os devotos, a aparição da imagem da santa em um rio foi um milagre, pois após o ocorrido muito peixes foram pescados e que quando oram pedindo algo, Ela atende a todos. 

Construir com os estudantes um painel com peixes, os pescadores e um mosaico de Nossa Senhora Aparecida. 

Explicar que esta história não está em nenhum Texto Escrito, mas para a Igreja Católica ela Explicar a relação dos fiéis com a mãe de Jesus. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário