9 de julho de 2018

ALIMENTOS SAGRADOS - MATRIZ AFRICANA

As atividades desenvolvidas aqui fazem parte do conteúdo Símbolos Religiosos: naturais e construídos e alimentos sagrados, com  os objetivos:

Reconhecer a existência dos alimentos sagrados nas organizações religiosas:

Iniciamos as nossas atividades após lembrarmos dos símbolos religiosos naturais e construídos, como a cruz, o maracá, a flor de lótus e os atabaques.

Antes propriamente dito, apresentar a matriz religiosa trabalhada, levei para sala de aula fogareiro, panela, sal, azeite e milho pipoca. 
Os estudantes vendo tudo aquilo ficaram surpresos e perguntaram o que íamos fazer naquela aula. 

Então mostrando os ingredientes deduziram: PI PO CA !!!!!

Bom para realizarmos a atividade conversamos sobre como fazer este alimento e copiamos a receita no caderno.



Saboreamos este delicioso alimento, alguns estudantes perguntaram se enquanto comíamos ele era sagrado, e eu falei que não.  Para ele se tornar Sagrado era necessário realizar um ritual e fazer parde de uma festa.

Depois de provarmos e saboreamos a pipoca, entreguei o seguinte texto para ser colado no caderno:

Os devotos de Omolu/Obaluaie lhe atribuem curas milagrosas, realizando oferendas de pipocas, jogando-as sobre o doente.

O milho de pipoca estourado em uma panela, em alguns lugares com óleo, em outros com areia. Nesse último caso, é preciso peneirar a areia dessa pipoca depois de pronta.

Ao final, a pipoca colocada em um alguidar (vasilha de barro) e enfeitado com pedacinhos de coco.




Após saberem que a pipoca é Sagrada nas festas de Obaluaiê/Omolu, ganharam papel crepon para confeccionarem as pipocas e colaram nos alguidar de Obaluaiê/Omolu.




Conversamos sobre o alimento, para quem ele é Sagrado?

É Sagrado para os adeptos do Candomblé e da Umabanda, eles realizam banhos de pipoca pois, acreditam que com isso as doenças vão embora.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou dessa postagem? Não vá embora sem deixar seu comentário, ele é muito importante para nós!