Neste blog você irá encontrar sugestões de atividades, atividades já realizadas, informações sobre o Ensino Religioso no estado do Paraná e principalmente em Curitiba. Trabalhar com a diversidade religiosa em sala de aula é algo extremamente rico pois, é na diversidade que aprendemos a respeitar o outro.


10 de agosto de 2016

RITOS E RITUAIS FÚNEBRES

O Tooro Nagashi é tradicionalmente realizado no Japão. O Evento acontece ao anoitecer do último dia de Finados. (no Japão são 3 dias). Os participantes soltam barquinhos (tooros) contendo velas acesas e o nome dos falecidos no rio ou no mar para homenagear as almas dos antepassados. No Japão, o mais famoso Tooro Nagashi é o de Nagasaki. Conforme a região, soltam-se os barquinhos durante a festa de Tanabata.



HISTÓRIA DO TOORO NAGASHI DE REGISTRO

Há cerca de 60 anos, um viajante japonês passou por esta região. Hospedou-se numa pensão de Seta Barras e certa manhã desceu ao rio para lavar o rosto, caiu e se afogou. A família dele no Japão pediu ao Obosan (Sacerdote) de Nichirenshu (uma das doutrinas do budismo) da mesma terra (província de Fukui) que um dia rezasse no Brasil pela alma do filho falecido. Em 1954 o casal Emei e Myoho Ishimoto, recém casados no Japão, veio para São Paulo quando a noiva tinha apenas 18 anos. O Sr. Emei Ishimoto, obosan de Nichirenshu, procurou o Sr. Bunzo Kasuga, único adepto de Nichirenshu de Registro e realizou o primeiro Tooro Nagashi em 1955. Nesta cerimônia religiosa do primeiro Tooro Nagashi de Registro, foram soltos sete tooros em homenagem a sete vitimas que foram: o viajante japonês, e as vítimas das famílias Hajime Yoshimoto, Tomeji Musha e Teizo Akune e outros.
O sacerdote Emei Ishimoto e Bunzo Kasuga conseguiram a doação de um terreno da Prefeitura Municipal de Registro para construir o monumento em homenagem às vítimas de afogamento. O monumento foi erguido na Rua Miguel Aby-Azar, às margens do Rio Ribeira do Iguape, onde é realizada anualmente a cerimônia religiosa de Tooro Nagashi.
Em 1984, faleceu Emei Ishimoto aos 57 anos de idade. Depois, a Sra. Myoho Ishimoto, viúva do Sr. Emei, continuou com a tradição e participa até hoje da cerimônia de Tooro Nagashi. Após o falecimento do Sr. Bunzo Kasuga, seu filho Kesao continuou organizando o Tooro Nagashi, juntamente com o Sr. Hajime Yoshimoto.
Três anos antes de falecer o Sr. Kesao Kasuga procurou a Associação Cultural Nipo-Brasileira de Registro (Bunkyo), para pedir apoio para dar continuidade à cerimônia do Tooro Nagashi. O Bunkyo, que já angariava recursos junto a seus associados, passou a participar ativamente da organização do evento. Atualmente, o Tooro Nagashi é promovido por Nichirenshu do Brasil, Bunkyo, Registro Base Ball Clube (RBBC) e Prefeitura Municipal de Registro.
No ano passado foram soltos 2.000 tooros no Rio Riveira. Neste ano, serão colocados 2.500 tooros nas águas do rio. A escuridão das águas reflete as luzes coloridas dos barquinhos, levando as almas dos antepassados. No céu, os fogos de artifício iluminam a noite, proporcionando uma paisagem de sonhos que emocionam a multidão.

Atualmente, a cerimônia do Tooro Nagashi é ecumênica e conta com a participação de adeptos de Nichirenshu do Brasil, Registro Honganji, Igreja Católica, Seicho-no-Iê, Igreja Episcopal, Igreja Messiânica, Omotokyo e Sokagakkasi. As orações são dirigidas a todos os antepassados e não apenas às vítimas de afogamento.
Sugestões de atividades: 
1 - Cada aluno pode confeccionar o seu barquinho e colocar o nome de um ente querido. 




2 - Após a confecção do barquinho, o/a professor/a pode colocar em uma bacia para simular como seria o barco no rio, relacionando a atividade com o rito para dos japoneses ou montar um grande cartaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário